Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Aves e Suínos Comércio Exterior

Exportações de carne suína crescem 41% em maio

As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 67,2 mil toneladas em maio, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).  O volume é 41% superior ao realizado no mesmo período do ano passado, quando foram exportadas 47,7 mil toneladas.

Em receita, as vendas do quinto mês do ano chegaram a US$ 143,8 milhões, saldo 54,6% maior que o resultado alcançado no mesmo período de 2018, com US$ 93 milhões.

No acumulado do ano (janeiro a maio), as exportações de carne suína chegaram a 282,9 mil toneladas, volume 16,3% superior ao obtido no mesmo período do ano passado, com 243,3 mil toneladas.

Já o saldo cambial totalizou US$ 562 milhões, número 11,9% maior que os US$ 502,2 milhões gerados nos cinco primeiros meses de 2018.

A China disparou entre os destinos das exportações brasileiras. Com 31,9% dos embarques, importou 21,1 mil toneladas em maio, volume 51% maior em comparação com o mesmo período do ano passado. “A questão sanitária vivida pela produção chinesa dá sinais mais fortes no ritmo de importações.  A fatia da participação chinesa nas exportações brasileiras é a maior já registrada”, explica Francisco Turra, presidente da ABPA.

Outro mercado impactado por focos de Peste Suína Africana, o Vietnã, que importou apenas 26 toneladas em maio de 2018, elevou suas compras em quase 7000%, totalizando 1,82 mil toneladas em maio.

O Chile também se destacou entre os importadores. O país sul-americano praticamente dobrou suas importações (+99%) de carne suína do Brasil, chegando a 4,1 mil toneladas no quinto mês deste ano.

“Outros mercados relevantes para o Brasil, como Hong Kong (+1%), Angola (+75%), Uruguai (+68%) e Argentina (+54%) também incrementaram suas compras em maio. A ampliação do saldo acumulado entre janeiro e maio indicam, também, um fechamento de semestre com previsão positiva para os embarques de carne suína”, reforça Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

 

FONTE: Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)

Related posts

Avicultura e coccidiose: como manter a sanidade de seu plantel

Setor de equipamentos participa em peso do SIAVS 2019

Revista Attalea Agronegócios

Siil Halal na Gulfood 2019, principal encontro da indústria alimentícia do mundo árabe.

Deixe um comentário