Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Café

[Escritório Carvalhaes] – Boletim semanal – ano 85 – n° 45

ESCRITÓRIO CARVALHAES
A mais antiga publicação periódica do café brasileiro –
desde 1933, a melhor fonte de pesquisa sobre o mercado mundial de café.
www.carvalhaes.com.br

 

Santos, sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Na última sexta-feira, dia 2, feriado nacional no Brasil, mas dia útil nos EUA, os contratos de café com vencimento em dezembro próximo na ICE Futures US subiram 225 pontos e levaram o balanço da semana passada para o campo positivo com ganhos de 40 pontos. Nesta semana continuou o forte sobe e desce nas cotações em Nova Iorque e o balanço da semana foi negativo, tivemos perdas de 620 pontos nos contratos com vencimento em dezembro próximo. A alta da cotação do dólar frente ao real compensou parte das perdas na ICE.

No mercado físico brasileiro houve resistência dos produtores em vender a preços mais baixos e os negócios que foram fechados tiveram preços praticamente nas mesmas bases dos da semana passada.

Estamos no auge da entrada no mercado da nova safra brasileira, de ciclo alto, e com a aproximação do final do ano, quando as despesas crescem, os negócios vão sendo fechados apesar da resistência e indignação dos cafeicultores com as bases de preços praticadas. O bom volume dos embarques brasileiros em outubro, divulgados ontem pelo CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil indica que os negócios se arrastam, mas acabam saindo.

Exportamos em outubro 3 746 739 sacas de café. Nossos embarques foram recordes para o espaço de um mês. Decepciona bastante o resultado financeiro dessa exportação recorde. Exportamos 29% mais sacas de café que no mesmo mês do ano passado, mas a receita cambial brasileira com essas vendas foi apenas 0,7% maior que a de outubro de 2017. Mesmo em relação ao mês anterior, setembro de 2018, os preços de venda do café brasileiro caíram acentuadamente. Embarcamos um volume 20% maior, mas nossa receita cambial subiu apenas 15,3%.

Hoje se encerra em Belo Horizonte a SIC – Semana Internacional do Café, dedicada principalmente ao mercado de cafés diferenciados, especiais. Esse evento vem crescendo ano a ano em tamanho e importância. Estiveram presentes cafeicultores de todo o Brasil e compradores de cafés finos de muitos países do mundo e de diversas torrefações e cafeterias brasileiras. Também estiveram presentes mais de 160 profissionais baristas de 40 países, disputando quatro campeonatos internacionais de preparação de café.

Além de disputarem as provas, esses profissionais ficam conhecendo melhor os cafés de alta qualidade do Brasil, entram em contato com produtores e com profissionais e empresas brasileiras, descobrindo novas regiões produtoras, novos sabores e serviços. Levam o que viram para seus países, contribuindo com a imagem e com o aumento de consumo de nossos cafés de qualidade.

A SIC acaba sediando uma grande troca de conhecimentos e experiências para profissionais de todos os segmentos da cadeia produtiva, da indústria e cafeterias.

Depois de visitar a SIC, a impressão que fica é que tanto a produção como o consumo de cafés brasileiros diferenciados irão crescer significativamente nos próximos anos.

O CECAFÉ – Conselho dos Exportadores de Café do Brasil informou que no último mês de outubro foram embarcadas 3.746.739 sacas de 60 kg de café, aproximadamente 29 % (844.626 sacas) mais que no mesmo mês de 2017 e 20 % (626.350 sacas) mais que no último mês de setembro. Foram 3.091.082 sacas de café arábica e 364.715 sacas de café conilon, totalizando 3.455.797 sacas de café verde, que somadas a 288.913 sacas de solúvel e 2.029 sacas de torrado, totalizaram 3.746.739 sacas de café embarcadas.

Até dia 7, os embarques de novembro estavam em 227.105 sacas de café arábica, mais 21.160 sacas de café solúvel, totalizando 248.265 sacas embarcadas, contra 289.802 sacas no mesmo dia de outubro. Até o mesmo dia 7, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em novembro totalizavam 576.250 sacas, contra 667.942 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 2, sexta-feira, até o fechamento de hoje, dia 9, caiu nos contratos para entrega em dezembro próximo 620 pontos ou US$ 8,20 (R$ 30,65) por saca. Em reais, as cotações para entrega em dezembro próximo na ICE fecharam no dia 2 a R$ 587,09 por saca, e hoje dia 9 a R$ 562,95. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em dezembro a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 280 pontos.

Escritório Carvalhaes

Powered by Rock Convert

Related posts

[Davi Moscardini] – Qual a importância dos fungos micorrízicos arbusculares para o cafeeiro?

Revista Attalea Agronegócios

22ª Feira de Irrigação em Café do Brasil reúne grandes empresas do setor em Araguari (MG)

Revista Attalea Agronegócios

Convênio fortalece cadeia produtiva da Região Vulcânica de Poços de Caldas

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário