Café

Descobrindo os segredos para a escolha de um bom café

JULIANA COSTA DE REZENDE ABRAHÃO
julianacosta@epamig.br
DENIS HENRIQUE SILVA NADALETI
denis.nadaleti@epamig.br
VANESSA CASTRO FIGUEIREDO
vcfigueiredo@epamig.br
CESAR ELIAS BOTELHO
cesarbotelho@epamig.br

Pesquisadores – Empresa de Pesquisa
Agropecuária de Minas Gerais – EPAMIG

O café é uma das bebidas mais populares do mundo e existem diversas opções disponíveis no mercado. Escolher um bom café na prateleira pode ser uma tarefa um pouco desafiadora, mas com algumas dicas você poderá tomar uma decisão mais informada. Neste artigo, vamos explorar os critérios importantes a considerar ao escolher um bom café, com foco nos selos de pureza da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC).

ORIGEM
A primeira etapa na escolha de um bom café é entender sua origem. O país produtor, a região e a altitude em que o café é cultivado desempenham um papel fundamental na qualidade final da bebida. Por exemplo, cafés cultivados em altitudes mais elevadas tendem a apresentar sabores mais complexos e acidez equilibrada. Cafés do Brasil costumam ter um sabor mais suave, enquanto cafés da Etiópia podem ter sabores mais frutados e florais.

ESPÉCIES
Existem duas principais espécies de café amplamente consumidas: Coffea arabica e Coffea canephora. O café Arábica é conhecido por seu sabor suave, acidez delicada e aroma rico, enquanto o C. canephora é mais encorpado, possui maior teor de cafeína e geralmente é usado em blends para adicionar corpo e crema à bebida.

TORRA
A torra do café influencia diretamente seu sabor e aroma. Existem três principais graus de torra: clara, média e escura. Sendo que em cafés especiais predomina-se a torra média, onde é possível expressar o maior potencial de qualidade. A preferência pessoal é importante ao escolher o grau de torra.

DATA DE TORRA
O café fresco preserva melhor suas características aromáticas e de sabor, dessa forma, recomenda-se a verificação da data de torra no pacote e a opção por cafés com torra recente. É importante também a manutenção do café em refrigeração após aberto, visando preservar a frescura e o sabor por um período mais longo.

O PAPEL DA ABIC NA GARANTIA DE QUALIDADE DO CAFÉ
A ABIC é uma instituição renomada que atua na promoção e regulação da indústria de café no Brasil. Seu objetivo é assegurar a qualidade dos cafés disponíveis no mercado e fornecer aos consumidores informações claras e confiáveis. Os selos de pureza da ABIC são um indicativo importante para o consumidor e garantem que o café adquirido atenda a critérios específicos. Os selos mais comuns são:

SELO DE QUALIDADE
O Selo de Qualidade da ABIC certifica a qualidade do produto final por meio de uma metodologia de análise sensorial, e classifica e diferencia os cafés em 4 categorias: Gourmet, Superior, Tradicional e Extraforte.
O selo “Café Gourmet” é atribuído a cafés de qualidade excepcional, com sabor sofisticado e aromas distintos. Para receber esse selo, o café deve ser composto por 100% de café Arábica, passar por um rigoroso processo de seleção, que envolve a escolha dos melhores grãos e métodos de colheita adequados e ser submetido a uma torra precisa.

O selo “Café Tradicional/Extraforte” identifica cafés com sabor intenso e encorpado. Geralmente, é uma
mistura de café arábica com canéfora, ou café arábica com alta incidência de defeitos e impurezas (embora isso seja permitido por lei) visto que, a primeira opção é a mais comum. O café extraforte passa por uma torra mais intensa até quase o ponto de carbonização, para mascarar sabores causados por impurezas que podem aparecer na torra clara/média. Apresenta custo bem acessível.

O “café Superior” está na escala intermediária de qualidade, com amargor moderado, acidez baixa a moderada, aroma característico, menos encorpado e mais adstringência quando comparado ao café Gourmet.

SELO DE SUSTENTABILIDADE
A ABIC também certifica cafés que são produzidos de forma sustentável, levando em consideração aspectos ambientais, sociais e econômicos. Esse selo confere a algumas marcas de café certificado, como comércio justo (fair trade), 4C – Código Comum da Comunidade Cafeeira, BSCA – Brazil Specialty Coffee Association, Café do Cerrado, Certifica Minas Café ou Rainforest Alliance. Se esses aspectos são importantes para você, procure por cafés que tenham essas certificações na embalagem.

CERTIFICADO DE CÁPSULAS
É um selo de qualidade que atesta a conformidade das cápsulas de café com determinados critérios estabelecidos pela associação. Esse certificado foi criado com o objetivo de garantir a qualidade do café em cápsulas comercializado no mercado brasileiro e envolve uma série de testes e análises realizados em laboratórios especializados, a fim de verificar se as cápsulas atendem aos requisitos estabelecidos, como, por exemplo, a compatibilidade com as máquinas de café expresso utilizadas no mercado brasileiro, o sistema de vedação, a qualidade sensorial, a rasteabilidade do café utilizado nas cápsulas entre outros. É importante ressaltar que o Certificado de Cápsulas da ABIC não é um requisito obrigatório para a comercialização de cápsulas de café, mas sua obtenção demonstra o compromisso do fabricante em fornecer um produto de qualidade aos consumidores brasileiros.

CONCLUSÃO
Ao escolher um bom café, é importante considerar a origem, o tipo de grão, a torra. Além disso, a presença dos selos de pureza da ABIC é um indicativo confiável da qualidade do café. Mas lembre-se de que a escolha do café também é uma questão de preferência pessoal e o que pode ser considerado um bom café para uma pessoa pode não agradar a outra.

Pesquisar avaliações e recomendações de especialistas ou de outros consumidores pode ser útil na hora de escolher seu café. Verifique sites especializados, blogs ou fóruns para obter opiniões e sugestões, experimente diferentes marcas, tipos e sabores para descobrir o que mais lhe agrada.
Em resumo, desfrutar de uma xícara de café de qualidade é uma experiência pessoal e única que pode ser aprimorada com conhecimento do processo de produção.

Related posts

[NECAF – UFLA] – Ocorrência de Plantas Daninhas no Cafeeiro: o que deve ser feito?

Mario

[Valéria Vilela] – Um ano turbulento que termina com esperanças

Mario

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – “Não foi por falta de aviso…”

carlos

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais