Image default
Cafés Especiais

Cup of Excellence 2018: Cafés produzidos na Mantiqueira de Minas lideram primeira lista

A BSCA – Associação Brasileira de Cafés Especiais divulgou a primeira lista dos finalistas do Cup of Excellence 2018, concurso de cafés especiais. Na lista, os cafés produzidos na região da Mantiqueira de Minas lideraram .

Na primeira fase do concurso de melhor café especial, 150 amostras foram selecionadas. Destas, 32 são da região da Mantiqueira. “Nessa fase de pré-seleção da BSCA, dessa região que a gente está, passaram várias amostras de café. Então, aqui em tudo para dar um dos melhores cafés do Brasil”, comemora o produtor Márcio Heleno de Carvalho, de uma propriedade em Dom Viçoso (MG).

Na região da Mantiqueira, são 70 mil hectares de café. Alguns pontos chegam a 1,5 mil metros de altitude. As baixas temperaturas e o solo também são diferenciais. “Não sei se é a proximidade maior com a serra mestra da Mantiqueira, se é o solo vulcânico, se é a matéria orgânica, era preciso um estudo mais aprofundado”, avalia Márcio.

A propriedade em Dom Viçoso (MG) é pioneiro na produção de cafés especiais no Sul de Minas. Dona Mariana de Carvalho Junqueira, de 91 anos, foi uma das primeiras produtoras e hoje coleciona os prêmios que já ganhou com o café. “Tenho um sentimento de gratidão. Sinto também vontade de continuar”, disse.

Cafés produzidos na Mantiqueira de Minas lideram primeira lista de concurso de café especial (Créditos: Reprodução/EPTV)

Em 25 cidades da Serra da Mantiqueira são quase 9 mil produtores, que colhem por ano mais de 1 milhão de sacas de café. O potencial atrai cada vez mais produtores. “O café especial hoje agrega um valor a mais e quem não fizer esse tipo de trabalho, não consegue manter sua propriedade”, explica o produtor Joaquim Adolfo Noronha, que aparece pela terceira vez na lista da BSCA.

“A procura pela Mantiqueira de Minas tem aumentado ano a ano. Então, isso tem feito com que os produtores consigam obter melhores resultados tanto na produção de café de qualidade, quanto na remuneração deste produto”, explica o negociador Wellington Carlos Pereira.

Toda amostra que chega à principal cooperativa da região é analisada segundo critérios internacionais. Para o concurso deste ano, a expetativa é que o vencedor seja da região. “Esses resultados vieram com esse trabalho, com esse investimento, educação, e hoje a gente pode produzir cafés de altíssima qualidade”.

As amostras do café cereja descascado já estão sendo analisadas na sede da BSCA, em Varginha (MG). Na próxima semana, será divulgada a lista dos finalistas da categoria natural.

Cafés são avaliados na sede da BSCA em Varginha (MG) (Créditos: Reprodução/EPTV)

Related posts

7º Torneio Melhor Café Fairtrade do Brasil – Golden Cup realiza primeira etapa

Mario

Presidente da ACIAM participa de evento de cafés em Alto Caparaó (MG)

Mario

De 06 a 08 de outubro, 1º ICAFEST – Festival do Café de Ibiraci (MG) reunirá o universo do Café Especial

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais