Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Agricultura Natural

Cultivo de algodão agroecológico volta a ser incentivado no semiárido brasileiro

O Instituto C&A, em parceria com a Diaconia, EMBRAPA Algodão, Universidade Federal de Sergipe e ONGs, lançará no dia 6 de novembro, na Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato, Piauí, o projeto ‘Algodão em Consórcios Agroecológicos’. A iniciativa vai fortalecer a atuação de OPACs (Organismos Participativos de Avaliação de Conformidade Orgânica), por meio do resgate e fomento ao cultivo do algodão orgânico no semiárido brasileiro.

Neste primeiro momento, o trabalho terá duração de dois anos e o objetivo principal desta iniciativa é fortalecer a agricultura familiar por meio do consórcio agroecológico com algodão em nove territórios do semiárido, abrangendo sete estados situados no Nordeste. “Esta parceria nos permite impulsionar a produção do algodão agroecológico por meio do fortalecimento de organizações locais. Ela nos ajuda a cumprir alguns dos objetivos da atuação do Instituto C&A: melhorar a qualidade de vida das trabalhadoras e trabalhadores rurais e, ao mesmo tempo, transformar a indústria da moda em uma força para o bem”, completa Luciana Pereira, gerente de Matérias-Primas Sustentáveis do Instituto C&A.

O projeto fornecerá apoio financeiro, técnico, gerencial e produtivo às organizações participantes. A geração de renda, o desenvolvimento das organizações sociais – principalmente das OPACs -, a conservação dos recursos naturais e a expansão do comércio justo e da produção orgânica do algodão são os principais resultados buscados.

“A iniciativa retoma uma atividade que começou há cerca de 10 anos e resultou na formação das primeiras OPACs – que representam as 800 famílias de agricultores do Nordeste, certificadas a emitir o selo de produto orgânico. Queremos criar uma rede entre essas organizações para expandir a produção do algodão agroecológico ao longo de todo o projeto”, complementa Fábio Santiago, engenheiro agrícola, coordenador do programa na ONG Diaconia.

A cultura do algodão é uma importante fonte de renda das produtoras e produtores da região. Dessa forma, o projeto é uma oportunidade de melhora nas condições de vida. “Grande parte das famílias inseridas no projeto são lideradas por mulheres, conquista muito significativa para mim particularmente. Elas começaram a participar mais das nossas ações e a se interessar mais em adquirir novos conhecimentos, o que aumenta a renda familiar, acarretando uma melhoria na qualidade de vida”, afirma Maria de Fatima da Conceição Sousa, representante da Associação dos(as) Produtores(as) Agroecológicos do Semiárido Piauiense.

O manejo do algodão, quando não realizado de forma adequada, pode causar impactos socioambientais, como o uso excedente de recursos hídricos e utilização de químicos no combate a pragas. De acordo com informações da Embrapa Algodão, menos de 1% do algodão produzido no mundo é orgânico. “Quando nos voltamos à produção nacional, esse número não chega a 0,1%. É por isso que o algodão sustentável é um tema que temos trabalhado com tanta ênfase no Brasil. Seguimos buscando iniciativas e parceiros que atuem nessa causa e que contribuam para o desenvolvimento da produção de algodão agroecológico em nosso país”, conclui Luciana.

Abaixo, segue a lista completa das parcerias do projeto:

Organizações parceiras do Projeto Algodão em Consórcios Agroecológicos:

  • EMBRAPA Algodão
  • Universidade Federal de Sergipe – UFS Campus Sertão

Organismos Participativos de Avaliação da Conformidade (OPACs):

  • APASPI/PI – Associação dos Produtores Agroecológicos do Semiárido Piauiense
  • ASAP/PE – Associação Agroecológica do Pajeú
  • ACOPASA/RN – Associação de Certificação Orgânica Participativa do Sertão do Apodi
  • ECOARARIPE/PE – Associação de Agricultores e Agricultoras Agroecológicos do Araripe
  • ACEPAC/PB – Associação Agroecológica de Certificação Participativa do Cariri Paraibano

Organizações Não Governamentais (ONGs)

  • Cáritas Diocesana de São Raimundo Nonato – Piauí
  • Arribaçã- Paraíba
  • Caatinga – Pernambuco
  • Chapada – Pernambuco
  • Centro Dom José Brandão de Castro- CDJBC – Sergipe
  • Instituto Palmas – Alagoas

SOBRE O INSTITUTO C&A

O Instituto C&A atua na promoção de uma indústria da moda mais justa e sustentável no Brasil. A organização, que se integrou à C&A Foundation em 2015, foca suas ações em cinco áreas: Incentivo ao Algodão Sustentável, Melhores Condições de Trabalho, Combate ao Trabalho Forçado e ao Trabalho Infantil, Moda Circular e Fortalecimento de Comunidades. Nos seus 26 anos de história, apoiou projetos na área de educação, temática que seguirá apoiando até 2018. A instituição oferece apoio técnico e financeiro e atua em rede para permitir que organizações sociais, marcas e outros agentes de transformação construam uma indústria da moda melhor.

Saiba mais em: www.institutocea.org.br

Related posts

[Ana Maria Primavesi] – Histórias deliciosas de Primavesi

Revista Attalea Agronegócios

Qualidade de inoculantes produzidos em laboratório ganês é atestada no Brasil

Revista Attalea Agronegócios

Agricultura SP lança primeira semente de milho selecionada exclusivamente para produção orgânica no Brasil

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário