fbpx
Revista Attalea Agronegócios
AGRICULTURA GRÃOS NOTÍCIAS

Controle biológico para soja, milho e feijão: multissítio microbiológico combate patógenos e aumenta produtividade de culturas anuais

Produtores brasileiros de soja, feijão, milho, algodão, trigo e outras culturas anuais já podem contar com um novo aliado no manejo de doenças da parte aérea da planta: Bio-Imune, fungicida e bactericida biológico da linha Biovalens do Grupo Vittia. O multissítio biológico possui uma formulação inovadora e superconcentrada de bactérias e metabólitos, que atuam diretamente na parte aérea das plantas, realizando ampla proteção e fortalecendo seu crescimento. Como resultado, o produto melhora a sanidade e a qualidade da lavoura das culturas.

De formulação biológica, Bio-Imune apresenta menor risco de impactos ambientais, não provoca efeitos toxicológicos nos aplicadores e consumidores e não desencadeia a seleção de patógenos resistentes. Devidamente registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), possui amplo espectro de ação no controle das principais doenças como Antracnose, Ferrugem Asiática e Mofo Branco, causas de maior impacto nas culturas anuais brasileiras.

“Este é um produto que vai além da proteção das plantas. Por contar com a biossíntese de compostos promotores de crescimento vegetal em seu processo exclusivo de produção, Bio-Imune estimula o maior desenvolvimento da cultura até o enchimento de grãos, resultando em maior produtividade para a lavoura. Além disso, é o fungicida multissítio protetor ideal para manejar associado com defensivos químicos, uma vez que é de fácil mistura, por ter formulação líquida e possui compatibilidade com diversos fungicidas, inseticidas e até herbicidas”, explica Bernardo Vieira, Gerente de Produtos Biológicos do Grupo Vittia.

Bio-Imune foi o primeiro fungicida e bactericida biológico registrado para o controle da antracnose (Colletotrichum truncatum), doença que afeta a fase inicial da formação das vagens de culturas como soja e feijão; e da ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi), considerada uma das principais doenças da cultura, principalmente por ser encontrada em quase todas as regiões do país e por seu potencial em provocar a desfolha precoce, interferindo na formação das vagens e enchimento de grãos e, como consequência, reduzindo a produtividade da lavoura. Também eficiente no manejo de Mofo branco (Clerotinia sclerotiorum), o multissítio microbiológico contém substâncias que atuam diretamente sobre os patógenos, além de tonificar e induzir as plantas a se protegerem contra doenças à medida que ativam genes de resistência.

Desenvolvido a partir do isolado BV02 da bactéria Bacillus subtilis, sua formulação possui endósporos de BV02 e metabólitos, como os lipopeptídeos surfactina, iturina e fengicina e enzimas protease, β-1,3-Glucanase, entre outras. Tais metabólitos atuam indiretamente pela ativação de mecanismos de defesa da planta, e diretamente na membrana celular dos patógenos, além de inibir a germinação de esporos dos mesmos. Os endosporos de BV02, quando aplicados nas plantas, germinam e colonizam a superfície das folhas, formando um biofilme rico nestes lipopeptídeos e enzimas que protegem as plantas.

“Por possuir endósporos do isolado BV02, que são extremamente resistentes às variações ambientais, Bio-Imune pode ser aplicado em culturas perenes e anuais de qualquer região do Brasil e possui carência zero e flexibilidade de aplicação, podendo ou não ser associado aos defensivos químicos”, afirma Bernardo. Lançado no início de 2019, Bio-Imune possui o registro para o controle de 13 patógenos que causam doenças em diferentes culturas em todo o país.

Para o Grupo Vittia, Inovação e Compromisso com o Meio Ambiente são valores fundamentais. A criação e desenvolvimento desse multissítio biológico, além de ser uma tecnologia exclusiva, contribui com a ausência de resíduos no produto final. Assim, colocando em exercício suas políticas de melhores práticas ambientais, sociais e de governança – ESG, o Grupo evidencia a sua estratégia de crescimento para os próximos anos. O Grupo Vittia é uma empresa de tecnologia de vanguarda e investe anualmente cerca de R﹩ 14 milhões em pesquisa e desenvolvimento de suas tecnologias. As pesquisas são desenvolvidas em seus laboratórios de elevada tecnologia e em parceria com as mais renomadas instituições de pesquisa do Brasil. Bio-Imune vem sendo desenvolvido desde 2014, recebendo intensos investimentos junto aos profissionais de elevada capacidade.

Sobre o Grupo Vittia

O Grupo Vittia, empresa brasileira de biotecnologia e insumos agrícolas, está presente há 50 anos no país com a missão de permitir aos produtores, ganhos de rentabilidade por área e melhoria do balanço socioambiental, entregando excelência em produtos e serviços para a agricultura. Sempre expandindo sua atuação a favor do agronegócio por meio de pesquisa, tecnologia e desenvolvimento, o Grupo, dedicado à produção de insumos de alta tecnologia para a agricultura, conta com diversos produtos nas linhas de adjuvantes, inoculantes (fertilizantes biológicos), acaricidas, controle biológico, fertilizantes foliares, fertilizantes organominerais, condicionadores de solo, micronutrientes granulados para solo e sais para a agricultura e pecuária. Atuando por meio das marcas Vittia, Biosoja, Samaritá, Biovalens, Vitória Fertilizante e JB Biotecnologia, o Grupo possui oito unidades industriais localizadas em São Joaquim da Barra (3), Serrana, Ituverava e Artur Nogueira, no estado de São Paulo, e em Paraopeba e Patos de Minas, no estado de Minas Gerais. Atualmente, conta com cerca de 1000 colaboradores entre equipes administrativas, de produção e especialistas de campo. Comprometido com os princípios da sustentabilidade, o Grupo visa criar valor por meio da inovação e ampliação de negócios com aquisições estratégicas no mercado. Em 2020, o faturamento do Grupo foi de R﹩ 576 milhões no Brasil. O Grupo Vittia recebeu do MAPA o Selo Agro+ Integridade que se destina a premiar empresas do agronegócio que, reconhecidamente, desenvolvem boas práticas de gestão de integridade, ética e sustentabilidade. Para mais informações acesse o site do Grupo Vittia .

FONTE: Milena Oliveira – moliveira@webershandwick.com.br

Related posts

AMAGGI compra lote de 300 caminhões da Nova Geração Scania

Revista Attalea Agronegócios

Nova norma de rastreabilidade de vegetais frescos começa a valer hoje

Revista Attalea Agronegócios

Instrução Normativa define requisitos para o comércio de produtos inspecionados por consórcios de municípios.

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário