Powered by Rock Convert
Revista Attalea Agronegócios
Cana de Açúcar Política Agrícola

China se prepara para adotar 10% de etanol na gasolina

Na linha de melhorar a qualidade do ar nas grandes cidades, a China está em fase de aprovação de uma nova lei que pode fazer a felicidade dos produtores de álcool pelo mundo inteiro: ela visa obrigar o uso de 10% de etanol misturado na gasolina do país, segundo adiantou o Broadcast/Estadão.

Essa informação foi discutida no último dia 07 de agosto, em Pequim, com o secretário da Agricultura paulista, Gustavo Junqueira (Foto) e com Marcello Ometto da Única, durante conversa que ambos tiveram com representantes da Anfavea local (CAAM).

A intenção, inclusive, é de “estabelecer uma parceria Brasil-China para testar carros brasileiros flex fuel e também estudar a transferência de tecnologia de produção do etanol de cana e milho”, detalha Junqueira.

Ele lembra, também, que isso significa grande potencial de investimento no setor de cana de açúcar, aumento da produção de milho e recursos aplicados em novas destilarias de etanol de milho.

Se de fato a China adotar o padrão de 10% de etanol na gasolina, isso vai representar uma revolução no setor de biocombustíveis e no agro brasileiro.

O Brasil produz e consome, atualmente, algo como 30 bilhões de litros de etanol / ano. Com 10% de mistura, a China responderia por uma demanda extra mundial de 15 bilhões de litros.

Na fabricação de veículos, o plano dos chineses, segundo os dois interlocutores, é dobrar o número de carros dos atuais 240 milhões para 500 milhões. E desses, segundo informações lá recebidas, a indústria vai conseguir fabricar, contribuindo para a limpeza do ar, um limite de 30% de veículos elétricos.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Powered by Rock Convert

Related posts

Siil Halal parabeniza ação do MAPA para atenuar tensão gerada pelo governo brasileiro

Revista Attalea Agronegócios

Brasil e Emirados Árabes Unidos assinam acordo para eliminar bitributação

Revista Attalea Agronegócios

ANDAV e CDA alertam para prazos do GEDAVE no Estado de São Paulo

Deixe um comentário