AgrobiológicosNOTÍCIASTecnologia

Cepas para controle biológico selecionadas pela Secretaria de Agricultura são usadas por 90% das empresas brasileiras

Em 2018, o mercado do controle biológico movimentou R$ 464,5 milhões no Brasil, com projeção de crescimento em 25% ao ano.

Os produtores rurais de todo o Brasil que optam por utilizar o controle biológico como método de manejo de pragas e doenças podem não saber, mas o produto que utilizam é oriundo da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, desenvolvido por meio da pesquisa científica realizada pelo Instituto Biológico (IB-APTA).

As cepas IBCB 66 e IB 425, usadas para a fabricação de bioinseticidas para controle biológico da mosca branca, ácaro rajado, cigarrinha-da-raiz do milho e cigarrinha-da-raiz da cana-de-açúcar, foram selecionadas pelo Instituto em 1986 e 2000, respectivamente, e hoje são usadas por mais de 90% das empresas que fabricam esses produtos biológicos. Todas as 75 biofábricas brasileiras de produção de produtos para controle biológico já foram assessoradas pelo Instituto de pesquisa paulista, que é referência no Brasil e no Mundo nesta área.

De acordo com Antonio Batista Filho, pesquisador do IB e coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), a cepa IBCB 66 é utilizada para o controle da mosca-branca e ácaro rajado nas culturas da cana, café, milho, melão, morango, flores e banana, além de ser eficiente para o controle da cigarrinha-da-raiz do milho. Apenas na cultura da soja, o uso dessa cepa do Instituto está em cerca de três milhões de hectares movimenta R$ 5 milhões por ano.

“A seleção desse grupo de cepas pelo IB tem permitido a produção de produtos pelas empresas privadas de todo o País para o controle de importantes pragas que acometem a agricultura brasileira. Essas empresas, além de usarem esse material do IB, ainda contam com assessoria do Instituto para sua implementação e funcionamento. A pesquisa científica auxilia, desta forma, todo o setor de produção no campo e na cidade, pois essas empresas geram empregos e renda para todos os brasileiros”, afirma.

O pesquisador do Instituto Biológico, José Eduardo Marcondes de Almeida, afirma que a cepa IB 425 é utilizada para o controle biológico da cigarrinha-da-raiz da cana, e também está disseminada por todo o País. O uso dessa cepa permite a redução em até 70% da incidência da praga, sem a necessidade do uso de defensivo agrícola.

“Cerca de 1,5 milhões de hectares de cana-de-açúcar no Brasil utilizam nossa tecnologia. O controle biológico da cigarrinha abriu nova oportunidade de negócio e, consequentemente, gerou novos empregos”, diz Almeida.

Com o uso do fungo Metharisium anisopliae, houve redução de pelo menos 30% na utilização dos inseticidas thiametoxam e imidacloprido, no controle da cigarrinha-da-raiz da cana. O custo de aplicação dos defensivos agrícolas por hectare, atualmente, é de R$ 100 reais. Com o uso do controle biológico, é possível fazer o controle dessa praga ao custo de R$ 45 reais por hectare. A economia chega a R$ 21 milhões de reais por ano.

Almeida explica que o sucesso das duas cepas selecionadas pelo IB está na eficácia no controle biológico de diversas pragas importantes para a agricultura nacional e a permissão do uso em produções certificadas como orgânicas.

Todas as 75 biofábricas do Brasil foram assessoradas pelo IB – Instituto Biológico.

Controle biológico: um mercado de R$ 464,5 milhões

O controle biológico consiste na utilização de inimigo natural para o controle de determinada praga alvo. A tecnologia é considerada sustentável, por não utilizar produtos químicos, evitando a contaminação dos trabalhadores rurais, dos alimentos e do meio ambiente. Ele pode ser utilizado na agricultura orgânica e também em conjunto com defensivos agrícolas.

A técnica é considerada indispensável no programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) por combinar práticas culturais e químicas para a gestão da resistência, com ganhos reais de produtividade. A maioria dos produtos biológicos de controle é isenta de limites máximos de resíduos, atendendo as exigências dos mercados consumidores globais em relação aos resíduos de produtos químicos em alimentos.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABCBio), a adoção de produtos biológicos de controle vem aumentando gradativamente na agricultura brasileira. Em 2018, o mercado brasileiro movimentou R$ 464,5 milhões, um crescimento de 77% em relação ao ano anterior.

Esses produtos são empregados, ainda de acordo com a ABCBio, em cerca de 10 milhões de hectares de um total de 77,4 milhões de hectares cultivados no Brasil. O setor projeta crescimento no mercado nacional de 25% ao ano, para os próximos cinco anos, contra 17% esperados no mercado global.

Sobre a APTA

A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem a missão de coordenar e gerenciar as atividades de ciência e tecnologia voltadas para o agronegócio. Sua estrutura compreende o Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico (IB), Instituto de Economia Agrícola (IEA), Instituto de Pesca (IP), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Instituto de Zootecnia (IZ), além dos 11 Polos Regionais distribuídos estrategicamente no Estado de São Paulo.

Balanço Social realizado pela Agência no biênio 2016/2017 mostrou que a cada real investido, a APTA retornou R$ 12,20 para a sociedade. As 48 tecnologias analisadas e adotas pelo setor produtivo tiveram R$ 10,9 bilhões de impacto econômico no período. Isso significa mais produtividade no campo, sustentabilidade da produção, renda para o produtor rural e alimentos de qualidade para a população.

 

FONTE: Fernanda Domiciano – Assessoria de Imprensa – APTA
 imprensa@apta.sp.gov.br 

Related posts

Agricultura 4.0 é uma realidade que veio para ficar

Mario

Nova espécie de abelha é descoberta em fazenda modelo de Goiás

Mario

COCATREL inaugurou loja modelo em Nepomuceno (MG)

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais