fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
Comércio Exterior NOTÍCIAS Política Agrícola

Balança Comercial Paulista registra superávit de US$ 11,49 bilhões, aponta IEA

China ultrapassa a União Europeia e se torna o principal destino das vendas externas paulistas. Soja e carnes são os produtos mais vendidos para os chineses. Enquanto os sucos são os preferidos pela UE.

Em 2018, as exportações do Estado de São Paulo somaram US$ 52,26 bilhões (21,8% do total nacional) e as importações US$ 60,83 bilhões (33,6% do total nacional), gerando um déficit de US$ 8,57 bilhões, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

No mesmo período, o agronegócio apresentou exportações de US$ 16,41 bilhões e importações de US$ 4,92 bilhões, que resultaram em um superávit de US$ 11,49 bilhões. Esse montante, embora 17,4% menor que o obtido em 2017, continua sendo fundamental para o equilíbrio das contas do Estado, afirmam José Alberto Angelo, Carlos Nabil Ghobril e Marli Dias Mascarenhas Oliveira, pesquisadores do IEA.

Em relação aos destinos das exportações do agronegócio paulista, a liderança passou a ser a China (17,4% de participação), ultrapassando a União Europeia (17,2%), que agora ocupa a segunda posiç ão. Na sequência aparecem os Estados Unidos (11,9%), Hong Kong (3,1%) e Irã (2,8%). A China importa principalmente produtos do Complexo Soja e Carnes, enquanto a União Europeia tem pauta mais diversificada, com destaque para os sucos (basicamente laranja) e produtos florestais.

OS PRINCIPAIS GRUPOS DE EXPORTAÇÃO

Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio, em 2018, foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 5 bilhões), seguido do setor de carnes (US$ 2,13 bilhões), sucos (US$ 1,96 bilhão), produtos florestais (US$ 1,88 bilhão) e complexo soja (US$1,72 bilhão), que vem ganhando cada vez mais relevância na pauta de exportações do Estado, com aumento de 29%, em 2018. Esses cinco agregados representaram 77,4% das vendas externas setoriais paulistas. Dentre estes, o complexo sucroalcooleiro foi o único a apresentar redução. A queda de 39,7% nas exportações do segmento fez com que a participação de São Paulo nas vendas do agronegócio brasileiro encolhesse 3,5 pontos percentuais, fechando em 16,1%.

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 58,66 bilhões, em 2018, com exportações de US$ 239,89 bilhões e importações de US$ 181,23 bilhões. Na análise setorial, as exporta ções do agronegócio aumentaram 5,9% em relação ao ano anterior, alcançando US$ 101,69 bilhões (42,4% do total nacional).  Já as importações se mantiveram praticamente estáveis no período (-0,8%), registrando US$ 14,04 bilhões (7,7% do total nacional). O superávit foi de US$ 87,65 bilhões, sendo 7,1% superior na comparação com 2017. Analisando a séria histórica, desde 1997, observa-se que tanto as exportações quanto o saldo comercial dos agronegócios foram os mais elevados para o período analisado.

Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio foram: complexo soja (US$ 40,91 bilhões), seguido por carnes (US$ 14,70 bilhões), produtos florestais (US$ 14,15 bilhões), complexo sucroalcooleiro (US$ 7,43 bilhões) e café (US$ 4,96 bilhões). Esses cinco grupos agregados representaram 80,8% das vendas externas setoriais brasileiras, com destaque para o grupo do complexo soja que aumentou sua participação de 33%, em 2017, para 40,2% em 2018.

Para ler o artigo na íntegra e consultar as tabelas e gráficos com informações sobre os principais parceiros comerciais do Estado e do País e os produtos que mais importam, clique aqui.

 

FONTE: Nara Guimarães – SECRETARIA DE AGRICULTURA ESTADO DE SP
www.agricultura.sp.gov.br

Related posts

Câmara aprova posse de arma em toda extensão da propriedade rural

Cafeicultor aposta em conilon de qualidade produzido em terras altas no Espírito Santo.

Revista Attalea Agronegócios

Governo de SP publica Resolução que estabelece normas para o cadastramento de viveiros de café

Deixe um comentário