fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
NOTÍCIAS Outros Animais

APTA realizará evento para debater aquicultura da criação à mesa

A APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, realizará em 8 e 9 de novembro de 2018 o curso “Aquicultura: Da criação à mesa”. O evento acontecerá no Polo Regional de Pindamonhangaba da APTA e reunirá especialistas da APTA Regional, Instituto de Pesca (IP-APTA), Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), Colpani Pescados, Guabi Nutrição e Saúde Animal, Defesa Agropecuária de Pindamonhangaba e a chefe de cozinha Íris Bittar, que abordarão todos os aspectos do processo produtivo dos peixes, até a preparação de pratos à base de animais aquáticos.

“O encontro foi organizado para atender os anseios dos diversos produtores rurais da região do Vale do Paraíba, que rotineiramente frequentam o Polo Regional da APTA para compra de alevinos de peixes e buscam informações técnicas na criação de organismos aquáticos na unidade de pesquisa”, afirma Sérgio Henrique Canello Schalch, pesquisador da APTA e organizador do evento que tem como público alvo aquicultores, estudantes, técnicos e profissionais da área.

A programação conta com palestras sobre legalização da aquicultura paulista, aquaponia, legislação brasileira para pescado e produtos da pesca e aquicultura, tecnologias tradicionais e inovações em processamento do pescado. O segundo dia do curso contará com o workshop “O pescado na gastronomia atual e os desafios para alavancar sua presença nos cardápios”, que será ministrado pela chefe de cozinha, Íris Bittar. Também está programada uma visita técnica ao setor de Aquicultura do Polo Regional de Pindamonhangaba.

SERVIÇO

Aquicultura: Da criação à mesa

Data: 08 e 09 de novembro de 2018

Horário: a partir das 8h

Local: Polo Regional de Pindamonhangaba da APTA

Endereço: R. Prof. Manoel César Ribeiro, 1920, Pindamonhangaba – SP

Informações e inscrições: 12 3642-3912 | sschalch@apta.sp.gov.br

 

Programação:

08 novembro

7h30 – 8h – Abertura

8h – 8h40 – Legalização da Aquicultura Paulista: avanços e entraves

  • Luiz Marques da Silva Ayroza, diretor do Instituto de Pesca

8h40 – 9h20 – Alternativas no cultivo do camarão de água doce

  • Hélcio Luis de Almeida Marques, pesquisador da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Pirassununga do Instituto de Pesca

9h20 – 10h – Aquaponia: Produção integrada de peixes e vegetais

  • Fernando André Salles, pesquisador do Instituto de Zootecnia

10h – 10h20 – Coffee break

10h20 – 11h – Tecnologias na ranicultura brasileira

  • Fernanda Menezes França, pós-doutorado do Polo Regional de Pindamonhangaba da APTA

11 h – 11h40 – Viabilidade econômica no cultivo do Pangasius

  • Martinho Colpani, diretor Colpani Pescados

11h40 – 12h – Dúvidas na mesa-redonda

10h – 13h30 – Almoço

13h30 – 14h10 – Produção de peixes em tanque-rede

  • Célia Maria Doria Frasca Scorvo, pesquisadora do Polo Regional de Monte Alegre Paulista da APTA

14h10 – 14h50 –  Produção de peixes em tanque escavado

  • João Manoel Cordeiro Alves, gerente de produção para aquacultura da Guabi Nutrição e Saúde Animal

14h50 – 15h – Coffee break

15 h – 15h40 – Produtos da truticultura brasileira

  • Yara Aiko Tabata, pesquisadora da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Campos do Jordão do Instituto de Pesca. 

15h40 – 16h10 – Legislação Brasileira para pescado e produtos da pesca e aquicultura

  • Marcos Bittar, médico veterinário da Defesa Agropecuária Pindamonhangaba

16h10 – 16h50 – Tecnologias tradicionais e inovações em processamento de pescado

  • Thaís Moron Machado, pesquisadora do Instituto de Pesca

16h50 – 17h – Dúvidas

 

09 novembro

8h – 9h – Recepção e Coffee break

9h – 13h – Workshop: O pescado na gastronomia atual e os desafios para alavancar sua presença nos cardápios (preparação e degustação de pratos).

  • Íris Bittar, chefe de cozinha

13h10 – 14h10 – Visita técnica ao Setor de Aquicultura

14h30 – Encerramento e almoço de confraternização com pratos regionais elaborados pela chefe Íris Bittar

FONTE: Fernanda Domiciano – Assessoria de Imprensa – APTA

Related posts

Engº Agrônomos passam a responder por receituário e são autorizados a definir misturas em tanque

Revista Attalea Agronegócios

Erosão causa prejuízos econômicos e ambientais no Paraná

Revista Attalea Agronegócios

Pesquisadores criam sistema que substitui lenha na secagem de grãos

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário