Image default
ARTIGOSMeio Ambiente

[Francisco Jardim] – Agricultura é sinônimo de preservação

Francisco Jardim

Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
www.agricultura.sp.gov.br

Comemoramos no dia 5 de junho o Dia Mundial do Meio Ambiente. Na Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, celebramos a data com orgulho porque temos certeza de que caminhamos na direção correta para unir conservação da natureza com aumento de produtividade e geração de renda.

Orientados pelo governador Márcio França, desenvolvemos iniciativas como o Plano Estadual de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas Para a Consolidação de Uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura (Plano ABC-SP). O Governo do Estado já desenvolve as ferramentas para a aplicação desta iniciativa tão importante.

Compromisso assumido pelo Brasil durante a COP-21, a conferência do clima, em Paris, em 2015, o Plano prevê uma s érie de ações que objetivam diminuir a emissão de carbono na produção agropecuária, em consonância com a tendência mundial de conservação, e adaptar o agro às mudanças climáticas causadas pelo efeito estufa.

Em São Paulo, ele é executado pela Secretaria de Agricultura, em parceria com outras cinco secretarias paulistas, entidades de representação e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Este compromisso é para valer. Ele se desdobra em várias iniciativas para as quais o governo de Márcio França, por meio da nossa Secretaria, já oferece as ferramentas necessárias. Um exemplo é a lista de 10 linhas de financiamento do Fundo de Expansão do Agroneg ócio Paulista – o Banco do Agronegócio Familiar (Feap/Banagro).

Com elas, o homem do campo poderá executar as ações do Plano como recuperação de áreas degradadas por erosões, Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), nascentes e matas ciliares, plantio direto na palha, floresta, sementes e mudas, pecuária de leite e desenvolvimento regional sustentável.

Desenvolvemos também o Boletim Técnico “Recomendações Gerais para Conservação do Solo e Água na Cultura de Cana-de-açúcar”, com atualizações na legislação, nos conceitos de classificação varietal e nas práticas do segmento da cana elaborada por um grupo técnico da Pasta.

Nossa preocupação com os recursos hídricos inclui também financiamentos que proporcionam a troca de equipamentos de irrigação. O produtor que quer modernizar sua maneira de irrigar, tornando-a mais eficiente e ambientalmente correta, conta com linha de financiamento do Feap.

O produtor pode também contar com as tecnologias de controle biológico como os ácaros-predadores do Instituto Biológico, que combatem o ácaro-rajado – um dos principais problemas na cultura de flores ornamentais. Estudos que resultam ainda em carrapaticidas à base de alecrim, como desenvolvido pela nossa Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta). É uma alternativa sustentável ao uso de produtos químicos, que deixam resíduos no leite e na carne a serem consumidos pela população.

Para o uso adequado de agroquímicos, desenvolvemos o Programa Aplique Bem, do Instituto Agronômico (IAC), que em uma década treinou mais de 58 mil trabalhadores rurais, gratuitamente, para a realiza ção de aplicação de agroquímicos de acordo com as normas de segurança. Foram quase 900 municípios, em 22 Estados e no Distrito Federal. Também em sete países: Burkina Faso, Costa do Marfim, Colômbia, Gana, Mali, México e Vietnã.

Ainda preocupados com o uso de agroquímicos, apoiamos o Projeto Campo Limpo, realizado pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inPEV), que é o órgão responsável pelo sistema de recolhimento das embalagens destes produtos no País. Promovemos a conscientização da população nas escolas e no campo sobre a adequada gestão de resíduos na zona rural.

São os cuidados que levaram nosso Estado a ser recordista no preenchimento do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que chegou a quase 100% do território paulista. Já estamos também preparados para fazer o Programa de Regularização Ambiental (PRA).

Este é um momento propício para mostrar que a agricultura está incorporando cada vez mais noções de sustentabilidade. Isso é estratégico para o futuro da agricultura, tanto para manter solo e água com qualidade, como para cumprir uma exigência da sociedade: incorporar esse conceito nos métodos de trabalho, produção e comercialização.

Estes são todos exemplos de uma nova agricultura. Pujante, dinâmica, tecnológica, produtiva e amiga da natureza.

Related posts

[Evaristo de Miranda] – Histórico Florestal da Terra!

Mario

[José Luiz Tejon Megido] – O agronegócio pode movimentar um trilhão de dólares em 2024

Mario

[Flávia Patrício] – Cobre na cultura do cafeeiro

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais