fbpx
Revista Attalea Agronegócios
Image default
ARTIGOS Café

[NECAF – UFLA] – A importância do enxofre para o cafeeiro

Dalyse Toledo Castanheira

Engenheira agrônoma, Doutoranda em Fitotecnia – UFLA. E-mail: dalysecastanheira@hotmail.com

Arthur Henrique Cruvinel Carneiro

Graduando em Agronomia – UFLA – E-mail: arthurhcruvinel@hotmail.com

Giovani Belutti Voltolini

Graduando em agronomia – UFLA – E-mail: giovanibelutti77@hotmail.com

https://www.facebook.com/necaf.ufla/

O enxofre é considerado um elemento químico essencial para a produção agrícola, assim como o nitrogênio, fósforo e potássio. Ele possui um papel de destaque na nutrição das plantas, pois está intimamente ligado ao desenvolvimento vegetal, sendo um constituinte importante das proteínas e essencial na fotossíntese, além de conferir maior resistência às plantas em relação a condições adversas de cultivo, como baixas temperaturas.

Atualmente, o enxofre está se tornando um nutriente limitante na produtividade das culturas. Pesquisas indicam um aumento de até 40% na produção de café com o uso de fertilizantes a base de enxofre. Além do aumento da produtividade, o enxofre está relacionado com características de qualidade do café, em que açúcares e aminoácidos, são responsáveis pela cor caramelo desejada nos grãos de café após a torra.

O enxofre está relacionado com características de qualidade do café.

Existem diversas formas de incrementar enxofre à planta, podendo ocorrer por meio da mineralização da matéria orgânica, pela adição de fertilizantes orgânicos ou minerais, e, em determinadas culturas, pelo uso de fungicidas à base de enxofre. As perdas de S no solo estão associadas a processos como lixiviação, exportação pelas culturas, erosão, queimadas e emissão de gases sulfurados.

O enxofre

O enxofre é absorvido pelas plantas principalmente na forma inorgânica de sulfato (SO4-2), que é muito suscetível ao processo de lixiviação. A maioria dos solos agrícolas cultivados apresenta deficiência de enxofre, principalmente em áreas com baixo teor de matéria orgânica. Solos argilosos possibilitam maior adsorção do S, e solos arenosos apresentam maior ocorrência de lixiviação.

Os sintomas de deficiência de enxofre e de deficiência de nitrogênio são muito parecidos, porém, os sintomas de S ocorrem em folhas jovens. Os principais sintomas de deficiência de enxofre são o amarelecimento das folhas, o encurtamento dos internódios e, posteriormente, o desfolhamento da planta. Além disso, pode ocorrer a redução do crescimento da planta e do vingamento das flores.

A recomendação de adubação sulfatada é baseada no diagnóstico da fertilidade do solo e na diagnose foliar, que quantifica a absorção do S pela planta.

Amostragem de solo

Para a análise de solo deve-se realizar uma amostragem bem feita, nas camadas de 0 a 20 cm e 20 a 40 cm de profundidade. É importante uma interpretação da análise coerente com a situação atual do solo. Solos arenosos e com baixo teor de matéria orgânica têm maior predisposição à deficiência de S, sendo assim em sistemas irrigados deve-se considerar a contribuição do enxofre presente na água da irrigação.

O enxofre disponível (sulfato) é um nutriente muito móvel no perfil do solo e pode acumular em camadas mais profundas. Por isso, é importante a amostragem em duas profundidades, de 0-20 cm e de 20-40 cm.

A existência de uma relação N:S adequada nas proteínas leva à necessidade de um adequado balanço na nutrição das plantas quanto a estes elementos.

Fontes de enxofre

As fontes mais comuns de fertilizantes para o suprimento de enxofre são o superfosfato simples (12% de S), sulfato de amônio (23% de S), gesso agrícola (17% de S), enxofre elementar (30 – 99% de S) e diversas combinações, principalmente de fertilizantes nitrogenados, como nitrato de amônio e ureia, com fertilizantes sulfatados, todas de aplicação via solo.

O gesso agrícola se destaca como uma das fontes de enxofre mais usadas e vantajosas economicamente.

Novidades

Recentemente, uma prática rentável e eficaz que vem sendo utilizada pelos produtores é o suprimento do enxofre via adubação foliar, como forma de complementação da adubação via solo, sendo uma das grandes vantagens dessa técnica o alto índice de aproveitamento do enxofre pelas plantas.

Os resultados observados com a utilização da adubação via foliar podem variar de acordo com a dose, produto e nível tecnológico do produtor. É importante ressaltar que a adubação foliar de S deve ser usada como complemento da adução via solo, visto que as plantas obtêm a maioria do enxofre necessário para seu desenvolvimento via sistema radicular.

Efeitos da aplicação foliar de enxofre no cafeeiro. Planta equilibrada nutricionalmente.

Related posts

Três Pontas (MG) receberá o 2° Encontro das Cafeicultoras de Minas Gerais realizado pela COCATREL.

Revista Attalea Agronegócios

23º Simpósio de Cafeicultura de Manhuaçu (MG) será em Outubro

[Silas Brasileiro] – Balanço Semanal do CNC — 02 a 06/07/2018

Revista Attalea Agronegócios

Deixe um comentário