CaféEVENTOS - DESTAQUES

3ª ALTA CAFÉ: Dryeration lança nova tecnologia para secar café

EMERSON ALVES
(AGROURBANO)

Sistema inovador reduz significativamente o tempo de secagem do café, mantém a qualidade do grão e traz produtividade para o cafeicultor.

A Dryeration, empresa brasileira pioneira no desenvolvimento de inovações tecnológicas para secagem de grãos, cereais, oleaginosas e sementes, anuncia o lançamento de um secador que realiza todo o processo de seca em menos de 24 horas, mantendo a qualidade original do grão que saiu da lavoura.

O novo sistema permite que a área de contato com o fruto seja semelhante a um terreiro e inicia a injeção de volume de ar. Esse ar vai passando pelo café, que está estático, dentro do secador, fazendo com que o fluxo passe em todas as partes e seque toda a massa com homogeneidade.

Além de permitir uma secagem uniforme, a agilidade com que o secador Coffee Dryer retira a umidade dos grãos e a leva para fora do secador, com a mesma rapidez, preserva a qualidade dos grãos. Cada equipamento tem capacidade para 20 mil litros/dia – em torno de 14 toneladas.

“Estamos trazendo para o mercado um novo conceito e velocidade, reduzindo o tempo de secagem e eliminando muitos problemas de secagem, como chuva, infestação de insetos e queima de matéria seca”, pondera Otalício Pacheco da Cunha, especialista em sistema de secagem de grãos e fundador da Dryeration. Os primeiros estudos para o desenvolvimento de uma secagem diferenciada começaram em 2001, em Minas Gerais. “É um tempo curto, visto que a história do café tem bem mais de 1500 anos”, acrescenta.

Produtividade –

A secagem mais rápida da nova tecnologia beneficia, especialmente, os cafeicultores que querem volume de seca, liberando mais cedo a lavoura para os tratos culturais, como poda e pulverização. Um atraso na colheita derruba o botão floral. Quando chega no meio do ciclo e a planta já começa a soltar os botões florais, é sinal de menor produção para a próxima safra, porque um botão floral (pinha) que cai é um fruto a menos que produz. Evitar essa perda é melhorar a produtividade, ao tornar possível retirar o fruto da planta no melhor estágio de maturação, o processo inovador agrega maior perspectiva de ganho de valor agregado.

Em um comparativo realizado em testes que secou a mesma quantidade de café (mil sacos) nos dois sistemas, os grãos que passaram pelo sistema convencional, entre 7 e 10 dias, tiveram 12,3% de queima de matéria seca. “Isso quer dizer que, com o Coffee Dryer, são exatamente 123 sacos a mais para o produtor”, complementa Otalício Pacheco da Cunha. A partir do mês de abril, toda essa tecnologia embarcada estará operando em um município da região Nordeste Paulista.

Pioneirismo também em produção de sementes
Outra transformação no pós-colheita do café é o secador entregar, ao cafeicultor, grãos que tanto podem ser industrializados como também podem ser plantados, como sementes, dependendo da opção do produtor, com todo vigor e matéria seca e sem perder a germinação. O oposto ao tratamento delicado que o fruto necessita atualmente, que envolve a despolpa, um período de lavagem, fermentação e ainda o processo de seca, normalmente feita em terreiro suspenso.

“É um trabalho imenso que nós queremos substituir. O nosso sistema possibilita ao produtor colocar o café direto da colheitadeira para o secador e, ao final da secagem, a semente estará viva e poderá ser diretamente plantada, eliminando várias etapas de trabalho e mantendo a mesma qualidade que o grão tinha no pé. Sem queima da matéria seca e sem a perda de vigor”, resume Cunha. Ele explica que a tecnologia é semelhante à utilizada na cevada e acredita que, no futuro, poderá ser adaptada a outras sementes, como pimenta do reino, noz-pecã, caju e amendoim.

Otalício Pacheco da Cunha, diretor da Dryeration, realiza a palestra ‘Transformação tecnológica de alta performance no café’, onde vai detalhar a nova tecnologia na secagem do café aos participantes.

3ª Alta Café
Todas essas tecnologias, bem como os equipamentos, estarão pela primeira vez à disposição de produtores e do público em geral, na 3ª ALTA CAFÉ – Feira de Negócios e Tecnologia voltada principalmente aos cafeicultores da Região da Alta Mogiana, que acontece de 21 a 23 de março, em Franca (SP).

O estande 105, da Dryeration, fica próximo à entrada. No dia 22, às 9h30, Otalício Pacheco da Cunha realiza a palestra ‘Transformação tecnológica de alta performance no café’, onde vai detalhar a nova tecnologia na secagem do café aos participantes. O horário de visitação é das 8h às 17h e o acesso é gratuito.

Related posts

INTERCORTE SP 2018: Evento terá programação para startups voltadas à pecuária.

Mario

Agrishow 2019: ITAL abordará qualidade da bebida de café

Mario

[Escritório Carvalhaes] – Boletim semanal – ano 85 – n° 42

Mario

Deixe um Comentário

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você concorda com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar Leia Mais